Ninguém cresce sozinho | limite
168
archive,tag,tag-limite,tag-168,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-9.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Por Patrícia L. Paione Grinfeld Em algumas famílias os palavrões fazem parte do vocabulário cotidiano, o que não surpreende em nada seu uso pelas crianças. Em outras, eles assustam porque soam como o estrondo de um trovão, uma ameaça à sobrevivência das palavras da boa educação – por favor, com licença, desculpa e obrigado. Os palavrões, assim como estas palavrinhas, fazem parte do mundo mágico das palavras, o...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld O relato de pais sobre o aparecimento e o desaparecimento “misterioso” de objetos no entorno da criança é bastante comum. Na mochila escolar do filho surgem canetinhas que não são dele; no bolso da calça, uma moeda de origem desconhecida; na caixa de brinquedos, um aviãozinho que ninguém sabe como pousou lá. Da mesma forma, não se acha na bolsa da...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld O que está em jogo na pergunta título deste texto não é a gramática, mas o sentido desses adjetivos na vida da criança. Não é difícil ouvir ou falar que fulaninho é maroto, grosseiro e indelicado a tal ponto que nem mesmo Madame Poças Leitão – a mais famosa professora de boas maneiras para a aristocracia...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld Quem é quem entre os Irmãos Metralha? Difícil responder. Os irmãos, criados em 1951 por Carl Barks, ilustrador dos estúdios Disney, são identificados por um número escrito em suas camisetas, sempre variando entre 1, 6 e 7 (176-671, 176-761, 176-176, etc.). Se os números das camisetas não aparecem, não temos como saber quem é quem. Entre os gêmeos...

Por Veronica Esteves de Carvalho Estava indo tudo bem, crianças brincando juntas, até que uma delas começa a encrencar com a outra. A brincadeira transforma-se em gritos, xingamentos, empurrões, puxões de cabelo, tapas, mordidas e arranhões. Mãe, o fulaninho me bateu! Pai, a fulaninha pegou meu brinquedo e não quer devolver! Pára, você é muito chato! Sai daqui! Te odeio! O que acontece e o que as crianças...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld Quando li Infância de retalhos, no blog Padecendo no Paraíso, encantei-me com a franqueza com que a mulher que o escreveu relata sua história pessoal de abuso sexual sofrido e silenciado por quase a metade de sua infância. Em cada linha, seu rico testemunho apresenta os meandros de uma trama comum e recorrente em diversas famílias, inclusive nas tradicionais, “perfeitinhas”...

Por Silvia Bicudo Uma situação frequentemente vivenciada por pais de crianças entre um e três anos de idade, provocadora de apreensão e vergonha, diz respeito às mordidas que os pequenos dão e recebem em outras crianças, conhecidas ou não, nos mais diferentes espaços. No senso comum, o discurso mais conhecido sobre o que significa a mordida diz de uma forma de comunicação...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld Alguns pais e mães encaram a questão da sua nudez diante dos filhos com muita naturalidade: se despem total ou parcialmente diante deles, tomam banho com a prole ou andam sem roupa pela casa. Outros optam por preservar sua intimidade, não se colocando pelados na frente dos filhos, nunca ou salvo algumas exceções. A grande maioria, contudo, tem um percurso...

Por Veronica Esteves de Carvalho Uma pergunta bastante frequente entre pais e pessoas que lidam com crianças é: Como lidar com as birras que acontecem por volta dos 2 anos de idade? Considero que, mais importante do que a maneira como cada um vai lidar com as birras, é a compreensão do porquê elas ocorrem. Do ponto de vista psíquico, um bebê...

Por Veronica Esteves de Carvalho A curiosidade e os questionamentos referentes à sexualidade surgem desde muito cedo na vida das crianças. A partir dos três anos elas ficam cada vez mais instigadas pelas descobertas no próprio corpo e no ambiente em que vivem. Sem pudor, muitas delas passam a exibir seu corpo desnudo, brincam na hora de fazer xixi, tomam banho juntas, pedem...

Compartilhe este artigo