Ninguém cresce sozinho | família
233
archive,tag,tag-familia,tag-233,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-9.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Por Carla A. B. Gonçalves Kozesinski O que define uma família? Até os anos 1970, o conceito de família era definido pela união de um homem com uma mulher através do casamento, e os filhos vindouros dessa relação. Os papéis sociais do homem e da mulher estavam apoiados em uma organização patriarcal – de maneira genérica, podemos dizer, que nesse tipo de...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld Não temos dúvidas sobre as mudanças fisiológicas que ocorrem com o corpo da mulher na perinatalidade, período compreendido da concepção até aproximadamente o primeiro ano após o parto. Visíveis através das transformações corporais, tais mudanças estão na pauta de atenção e discussão sobre os fenômenos físicos que ocorrem na gestação, no parto e no puerpério, pela...

Por Carla A. B. Gonçalves Kozesinski Para muitos pais adotivos e pretendentes à adoção, a necessidade de contar ao filho sobre a adoção gera muita ansiedade e insegurança. Esses sentimentos podem ser vividos de forma tão intensa que alguns pais acabam protelando, ou não contando. Na minha experiência com essas famílias, verifico que os principais entraves estão relacionados a três aspectos: contar...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld A creche e a escola, enquanto espaços coletivos, são sempre potentes para a aprendizagem. Nelas, crianças pequenas se identificam umas com as outras, descobrem coisas juntas, aprendem por imitação. Quando a aprendizagem em questão é o uso do penico ou vaso sanitário, o ambiente coletivo pode contribuir – e muito – para a aquisição individual da nova...

Por Carla A. B. Gonçalves Kozesinski Conhecer um pouco da história da legislação brasileira sobre adoção nos ajuda compreender melhor os caminhos que levaram à formulação da lei atualmente em voga em nosso país. No Brasil, até o século XX, a adoção não era regulamentada juridicamente. Sua prática era permitida apenas a casais que não tinham filhos biológicos, através da entrega de...

Por Carla A. B. Gonçalves Kozesinski A partir da escuta de puérperas, em atendimentos grupais ou individuais, como nas redes sociais virtuais, observo que os aspectos mais ressaltados da maternidade hoje em dia não se referem à plenitude vivida nesse momento – como comumente se imaginou durante tanto tempo  –, mas sim, às dificuldades enfrentadas a partir do nascimento de um...

Por Silvia Bicudo Em minha experiência, trabalhando com homens e mulheres em tratamentos para engravidar, uma angústia frequente, que se desdobra em outras duas é: se, como e quando abordar com a criança a sua origem e, consequentemente, o tratamento pelo qual os pais passaram. Para se construir respostas a essas dúvidas é extremamente necessário que quem as faz possa entender...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld Uma mãe nos escreve: Penso em mudar minha filha para uma escola mais bem-conceituada e mais próxima de casa. Entretanto ela está muito resistente a essa ideia, pois gosta da atual escola e de seus coleguinhas. Ela está com 4 anos e 10 meses. Antes de comentar a questão desta mãe, considero importante apontar as principais razões que levam à mudança de escola:...

Por Silvia Bicudo No Brasil, a comercialização de óvulos (e de espermatozoides) não é permitida. Dessa maneira a ovodoação, técnica em que a mulher pode gestar um embrião que não contenha suas características genéticas, só se faz possível a partir da doação de óvulos. De acordo com a regulamentação do Conselho Federal de Medicina (nº 2.121/2015) a doação deve ser anônima, ou...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld Quem é quem entre os Irmãos Metralha? Difícil responder. Os irmãos, criados em 1951 por Carl Barks, ilustrador dos estúdios Disney, são identificados por um número escrito em suas camisetas, sempre variando entre 1, 6 e 7 (176-671, 176-761, 176-176, etc.). Se os números das camisetas não aparecem, não temos como saber quem é quem. Entre os gêmeos...

Compartilhe este artigo