Patrícia L. Paione Grinfeld é uma das profissionais entrevistadas na reportagem de Tiago Cordeiro (jornal Gazeta do Povo) sobre a exposição da criança diante do corpo nu em um museu.


(…)

Já para Patrícia Paione Grinfeld, psicóloga e idealizadora do projeto Ninguém Cresce Sozinho, é preciso levar em conta que as crianças são curiosas por natureza. “É saudável que a criança possa explorar o próprio corpo. A exposição ao nu pode ser prejudicial quando a nudez desperta na criança sentimentos que lhe são confusos, como por exemplo, se sentir inferiorizada por ter um corpo sem os ‘volumes’ do corpo de um adulto. E é sempre prejudicial quando a nudez tem um caráter erótico, de sedução”.

Até aproximadamente os seis ou sete anos a criança internaliza as regras sociais. Isso significa que até esta idade ela ainda precisa de ajuda dos adultos para poder entender e se apropriar das normas que regulam a vida em sociedade, como por exemplo, o que é permitido/proibido, público/privado em relação ao corpo dela e ao corpo de qualquer outra pessoa”.

E quanto a ver os pais nus? Grinfeld responde: “Isso sempre vai depender do contexto de cada família e da maneira como cada criança fica diante da situação.”


Clique aqui para ler a reportagem na íntegra.

 

Imagem: Ramón Terriza, por Pixabay.