Ninguém cresce sozinho | Textos técnicos
17169
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-17169,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-9.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Textos técnicos

Nesta seção disponibilizamos textos para profissionais que trabalham com a perinatalidade, parentalidade e primeira infância.

Trabalho apresentado pela equipe da rede Ninguém Cresce Sozinho na III Jornada da Clínica 0 a 3 da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, realizada e em 18/03/2017. Tal trabalho contempla algumas reflexões acerca das oficinas lúdicas com crianças até 3 anos realizadas por esta rede, de modo a destacá-las como um dispositivo de troca de saberes, fortalecimento da rede social de suporte, intervenção na relação pais-bebê e promoção de saúde na perinatalidade – portanto, um instrumento que pode contribuir com o processo de subjetivação do bebê e de construção da parentalidade.

Palavras chaveintervenção na relação pais-bebê, oficinas lúdicas, parentalidade, perinatalidade, rede social de suporte, subjetivação do bebê.

Trabalho apresentado por Silvia Paula Leite Bicudo, Patrícia L. Paione Grinfeld e Roberta Sá Prado de Alencar, no IV Colóquio de Psicanálise com Crianças do Instituto Sedes Sapientiae em 26/08/2016, contempla algumas reflexões acerca da utilização e das representações que os blogs maternos e outras comunidades virtuais têm ocupado na construção da função materna nos dias atuais.

Palavras chave: blogs maternos, função parental, representações sociais da maternidade

Trabalho apresentado por Patrícia L. Paione Grinfeld no III Encontro Internacional e X Encontro Nacional sobre o Bebê (ABEBE – Associação Brasileira de Estudos sobre o Bebê) em novembro/2015, traz, a partir da observação de blogs e grupos em redes sociais escritos por mães, uma breve reflexão sobre o quanto algumas práticas parentais que visam o fortalecimento do vínculo com o bebê parecem, em alguma medida, responder à fantasia de completude e à angústia de separação maternas, podendo, assim, dificultar o corte necessário para o processo de subjetivação do bebê.

Palavras chave: apego, blogs maternos, maternalidade, subjetivação do bebê

Tendo Lóczy e o trabalho da pediatra húngara Emmy Pikler como uma das fontes inspiradoras, este guia do Instituto Fazendo História apresenta reflexões e boas práticas com bebês entre 0 e 3 anos, visando contribuir com o trabalho dos técnicos e educadores dos serviços de acolhimento de todo o Brasil. Coordenação da publicação: Roberta Alencar, 2015.

Palavras chaveacolhimento institucional de bebês, desenvolvimento infantil, Lóczy, subjetivação do bebê.

Essa publicação do Instituto Fazendo História articula a experiência prática do trabalho desenvolvido pelo Programa Palavra de Bebê junto aos serviços de acolhimento institucional com a teoria psicanalítica, com o objetivo de discutir as condições mínimas necessárias para a subjetivação de bebês no ambiente coletivo da instituição. Com prefácio de Isabel Kahn Marin, reúne textos de Daniela Teperman, Flávia Montagna, Lola Cuperman, Luísa Nogara, Maria Lacombe Pires, Paula Albano e Roberta Alencar. Organização: Fernanda Nogueira, 2011.

Palavras chaveacolhimento institucional de bebês, desenvolvimento infantil, subjetivação do bebê.

 Consulte nossa agenda para saber quando e onde acontecem

as rodas de conversas, os plantões e as oficinas lúdicas.

Compartilhe este artigo