Ninguém cresce sozinho | linguagem
152
archive,tag,tag-linguagem,tag-152,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-9.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Por Silvia Bicudo A sistematização de alguns sintomas psíquicos sob o nome de autismo foi proposta por Leo Kanner em 1943. De lá para cá diversas áreas da saúde vêm se dedicando ao seu estudo e pesquisa, sendo este um tema que provoca divergências marcantes no modo como os diferentes profissionais (neurologistas, pediatras, psiquiatras, psicólogos, psicanalistas, entre outros) compreendem sua causa...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld Desfraldar uma criança não é uma tarefa que se faz de um dia para outro, pelo contrário. O desfralde é um processo que vai muito além da maturidade neurofisiológica e emocional da criança. Ele também é atravessado pelas experiências sensório-afetivas que acontecem já nas primeiras trocas de fralda, pelas vivências que a criança experimenta para além do...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld Em algumas famílias os palavrões fazem parte do vocabulário cotidiano, o que não surpreende em nada seu uso pelas crianças. Em outras, eles assustam porque soam como o estrondo de um trovão, uma ameaça à sobrevivência das palavras da boa educação – por favor, com licença, desculpa e obrigado. Os palavrões, assim como estas palavrinhas, fazem parte do mundo mágico das palavras, o...

Por Silvia Bicudo Escrevi em outro texto sobre os sentidos e significados que podem ser atribuídos às mordidas, tapas e puxões de cabelo, dados e recebidos, pelas crianças pequenas. Aqui, todavia, escrevo sobre o papel do adulto nestas situações, bem como os manejos possíveis. São pelo menos duas as posições dos adultos neste contexto: ou eles são os responsáveis pela criança que...

Por Silvia Bicudo Uma situação frequentemente vivenciada por pais de crianças entre um e três anos de idade, provocadora de apreensão e vergonha, diz respeito às mordidas que os pequenos dão e recebem em outras crianças, conhecidas ou não, nos mais diferentes espaços. No senso comum, o discurso mais conhecido sobre o que significa a mordida diz de uma forma de comunicação...

Por Adriana Fontes Melo* e Ana Paula Dias Fernandes Pacheco** O advento da fala de um bebê é tão esperado que não é de estranhar que muitas vezes a ansiedade dos pais diante das primeiras palavras faz com que peçam a seus filhos a repetição dessas para que amigos e familiares aproveitem deste momento especial. O bebê, por sua vez, entra no jogo, ora...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld Os primeiros meses de vida do bebê são marcados por intensa relação fusional com a mãe, que é quem lhe apresenta o mundo. O bebê vive como se ele e a mãe fossem um só. Ela, por sua vez, se identifica com o bebê, o que favorece a interpretação do que ele pode estar sentido e,...

Compartilhe este artigo