Ninguém cresce sozinho | crônicas da vida cotidiana
253
archive,tag,tag-cronicas-da-vida-cotidiana,tag-253,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-9.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Por Tatiana Machado* Quando guri, eu tinha de me calar à mesa: só as pessoas grandes falavam. Agora, depois de adulto, tenho de ficar calado para as crianças falarem. (Mário Quintana, Azar.  In:  Poesia Completa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005. p. 975) Já tem algumas décadas que nosso poeta captou e expressou, de forma tão singela e bonita, uma mudança cultural...

Por Silvia Bicudo Quando, enquanto psicanalistas, nos deparamos com um caso em que uma criança apresenta sinais de risco para o desenvolvimento, como um atraso motor ou na linguagem, dificuldade de contato com os outros e, ao mesmo tempo, apresenta também um diagnóstico orgânico, seja ele “bem” delineado, como uma galactosemia tipo 1 (a ser definida mais adiante), ou um diagnóstico...

Por Adriana Fontes* No domingo, véspera do aniversário de seu filho, Marta preparou um bolo, conforme especificações solicitadas por ele, para oferecer, na segunda-feira, aos amigos da escola, no dia do seu aniversário. Logo cedo, na segunda, passou uma mensagem para a escola e algum tempo depois, telefonou para a secretaria a fim de ajustar o horário da entrega. Era sabido por ela...

Por Silvia Bicudo A cena é brutal. Um pai, acompanhado de seu irmão e seus dois filhos. A menina, por volta de quatro anos com os pés e pernas até os joelhos amputados, o menino, mais novo que ela, fisicamente intacto, porém emudecido desde o ocorrido. A mãe? A mãe se atirou com as crianças nos trilhos do trem e morreu.  “Assassina!”...

Compartilhe este artigo