Ninguém cresce sozinho | Nossa história
17375
page-template-default,page,page-id-17375,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-9.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Nossa história

Patrícia Grinfeld sempre gostou de escrever. Em 2008, a partir das questões vividas com a própria maternidade, começou o 2x mãe, um blog onde registrou algumas de suas vivências com os filhos e sobrinhas. 

Embora escrevesse pouco em comparação a outros blogueiros, escrever dava satisfação e as questões da maternidade se apresentavam cada vez mais interessantes em suas múltiplas facetas. Acompanhando outros blogs, percebeu que queria continuar escrevendo sobre a maternidade e a educação de filhos, mas não a partir de sua experiência materna.

Então, em 2012, convidou Verônica Carvalho, amiga dos tempos de faculdade, para criar um blog onde pudessem escrever reflexões sobre o processo de se tornar pai ou mãe e educar uma criança. Em abril daquele ano, nasceu o Ninguém Cresce Sozinho.

Por pouco mais de 3 anos, Patrícia e Verônica levaram o blog como um hobby. Sem dúvida, ele era um pedaço importante da vida delas, mas sempre que precisavam abrir mão de uma coisa em detrimento de outra, era o Ninguém Cresce Sozinho que ia para o banco de reserva.

Ainda assim, ele crescia organicamente. Além de mães e pais, outros profissionais da saúde e educadores passaram a acompanhar e compartilhar nossos textos. Como consequência desse crescimento, perguntas de caráter orientativo foram surgindo cada vez mais. Vimos, com isso, que o blog estava ficando pequeno diante da demanda de nossos leitores.

Em paralelo, observávamos mães nas redes sociais debatendo e buscando apoio no que se refere aos desafios que surgem com a maternidade. Ainda que de forma menos expressiva, alguns pais também começaram a utilizar esses meios para falar sobre a paternidade e o cuidado com os filhos, o que, em nossa leitura, reforçava a necessidade da criação de espaços para a elaboração de vivências emocionais intensificadas ou afloradas no processo de se tornar pai e mãe e na relação com filhos pequenos.

Surgiu daí a ideia de oferecer rodas de conversa para mães e pais no consultório, abordando questões comuns durante a gestação e o puerpério, e temas centrais do desenvolvimento na primeira infância.

Quando começamos a oferecer as rodas de conversa, alguns leitores disseram que gostariam de participar, mas moravam em outra cidade. Isso nos fez pensar num obstáculo que Patrícia e Roberta Alencar também vinham enfrentando em grupos presenciais com gestantes e puérperas que realizavam no Núcleo Cuidar: a questão do deslocamento na cidade de São Paulo, somada ao próprio período de intensa dedicação aos preparativos para a chegada do bebê ou aos cuidados a ele dispensados após o nascimento, o que dificultava a ida da mulher até o consultório.

Diante deste cenário, no segundo semestre de 2015, criamos, com a inclusão da Roberta ao time, o site Rodas Ninguém Cresce Sozinho para oferecer atendimento psicológico online, individual e em grupo, a gestantes, puérperas, casais, pais e responsáveis pela educação de crianças entre 0 e 6 anos.

Veronica, embora sempre dedicada ao Ninguém Cresce Sozinho, decidiu se desligar do projeto e dedicar-se apenas a atendimentos clínicos e coaching de vida.

No final de 2015, Patrícia e Roberta deixaram o trabalho que realizavam com bebês acolhidos institucionalmente e abraçaram o desafio de transformar o Ninguém Cresce Sozinho em uma rede de profissionais para oferecer informação, reflexão e suporte emocional a bebês e crianças, e a homens, mulheres e profissionais que se deparam com questões relacionadas à primeira infância e ao processo de se tornar pai e mãe, incluindo o período anterior à concepção ou à adoção.

Em março de 2016 Veronica se desligou do projeto, deixando conosco contribuições valiosíssimas. Carla Kozesinski e Silvia Bicudo, que vinham sendo importantes companheiras na troca de ideias e no levantamento de questões sobre o instigante e complexo mundo da perinatalidade, parentalidade e primeira infância, embarcaram no sonho de tornar real este espaço de informação, reflexão e suporte emocional a um período tão primordial e fundamental da vida humana.

A quem já nos acompanha, nosso muito obrigada pelo carinho e confiança depositados nessa trajetória. A quem está nos conhecendo, bem-vindos!

Compartilhe este artigo