Ninguém cresce sozinho | Primeira Infância
1
archive,category,category-primeira-infancia,category-1,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-9.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Por Carla A. B. Gonçalves Kozesinski O que define uma família? Até os anos 1970, o conceito de família era definido pela união de um homem com uma mulher através do casamento, e os filhos vindouros dessa relação. Os papéis sociais do homem e da mulher estavam apoiados em uma organização patriarcal – de maneira genérica, podemos dizer, que nesse tipo de...

Por Silvia Bicudo Quando vemos um bebê pegando um objeto, sentando sem apoio, engatinhando, ou uma criança correndo e pulando, temos a impressão de que as conquistas motoras se dão naturalmente através do crescimento infantil. Todavia, o desenvolvimento motor não está garantido pela passagem dos anos, nem atrelado apenas às faixas etárias, como estamos acostumados a pensar e, muitas vezes, encontrar...

Por Carla A. B. Gonçalves Kozesinski Para muitos pais adotivos e pretendentes à adoção, a necessidade de contar ao filho sobre a adoção gera muita ansiedade e insegurança. Esses sentimentos podem ser vividos de forma tão intensa que alguns pais acabam protelando, ou não contando. Na minha experiência com essas famílias, verifico que os principais entraves estão relacionados a três aspectos: contar...

Por Silvia Bicudo A sistematização de alguns sintomas psíquicos sob o nome de autismo foi proposta por Leo Kanner em 1943. De lá para cá diversas áreas da saúde vêm se dedicando ao seu estudo e pesquisa, sendo este um tema que provoca divergências marcantes no modo como os diferentes profissionais (neurologistas, pediatras, psiquiatras, psicólogos, psicanalistas, entre outros) compreendem sua causa...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld Tenho acompanhado algumas mães e pais bastante angustiados porque seus filhos, à época do desfralde, aprendem com êxito a usar o vaso sanitário ou penico para fazer xixi, mas pedem a fralda para fazer cocô – ou o fazem na calcinha/cueca, ou mesmo no chão. Com raras exceções, há crianças que também retém o xixi: “Quando coloco...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld Embora as livrarias e bibliotecas disponham de livros sobre a sexualidade humana escritos especialmente para crianças, raramente encontramos um que seja suficientemente bom em seu conteúdo. Falta desde ilustrações dos genitais masculino e feminino, que tanto interessa os pequenos ávidos por entender as diferenças entre os sexos, até a apresentação das diversas possibilidades de encontros sexuais...

Por Patrícia Leekninh Paione Grinfeld As atividades extraescolares têm aproveitado, cada vez mais, a brecha deixada pela sobrecarga de tarefa dos pais e outros familiares, escassez de ajuda doméstica e falta de espaço público e segurança (só para citar alguns exemplos), e se transformado, por vezes, num grande negócio. Um negócio que vende a ideia de que a criança precisa, através...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld A creche e a escola, enquanto espaços coletivos, são sempre potentes para a aprendizagem. Nelas, crianças pequenas se identificam umas com as outras, descobrem coisas juntas, aprendem por imitação. Quando a aprendizagem em questão é o uso do penico ou vaso sanitário, o ambiente coletivo pode contribuir – e muito – para a aquisição individual da nova...

Por Carla A. B. Gonçalves Kozesinski Conhecer um pouco da história da legislação brasileira sobre adoção nos ajuda compreender melhor os caminhos que levaram à formulação da lei atualmente em voga em nosso país. No Brasil, até o século XX, a adoção não era regulamentada juridicamente. Sua prática era permitida apenas a casais que não tinham filhos biológicos, através da entrega de...

Por Patrícia L. Paione Grinfeld Dezembro é mês de “respirar” Papai Noel. Embora sua imagem esteja atrelada à mais importante celebração cristã e à data comemorativa de maior movimentação no mercado mundial de consumo, Papai Noel carrega uma universalidade encantadora: bondade, solidariedade, sentido de justiça, sabedoria dos mais velhos e a capacidade genuína de ouvir o desejo do outro. Papai Noel escuta, mas...

Compartilhe este artigo